Leasing Operacional

O Leasing Operacional é uma modalidade de Arrendamento Mercantil que, ao contrário do que todo mundo diz, são restritas às Sociedades de Arrendamento Mercantil e aos Bancos Múltiplos com essa carteira (portanto, o fabricante do bem não pode fazer leasing operacional!).

Em geral o que acontece, aparentemente, é que o banco ou sociedade de arrendamento (arrendadora) arrenda o bem para uma empresa contratante (arrendatária) que o utiliza durante um tempo determinado no contrato, podendo inclusive prestar a manutenção do bem caso conste no contrato. No fim do contrato, caso a contratante queira continuar o negócio, a arrendadora pega o bem (não existe venda pelo Valor Residual Garantido - o arrendatário tem a opção de comprar mas apenas pelo valor de mercado) e o substitui por um mais moderno (decorrido o tempo do contrato, é de se esperar que o bem do início do contrato já esteja defasado).

O prazo do contrato pode ser de no máximo 75% da vida útil do bem e no mínimo 90 dias, sendo que o valor das contraprestações (as parcelas) não pode ultrapassar 90% do custo do bem.

Detalhe: quem duvidar das informações acima procure a resolução 2309 do CMN. Lá estão as características do Leasing Operacional. Cuidado com o que lê nas apostilas e até em livros conhecidos, porque essa parte está ERRADA!

Paztejamos

Um comentário:

  1. Os bancos múltiplos com carteira de investimento, de
    desenvolvimento e/ou de crédito imobiliário, os bancos de investimento, os bancos de
    desenvolvimento, as caixas econômicas e as sociedades de crédito imobiliário também podem
    realizar as operações previstas neste artigo

    ResponderExcluir