O que são Ações?

Ações são pedacinhos de empresas. Quando eu compro uma ação, estou comprando um percentual de uma empresa. Por exemplo, vamos supor que a Jæn Corporation dividiu a empresa em 100 ações, ficou com 50 e colocou 50 a venda. Quando eu compro uma das 50 ações disponíveis, eu estou comprando 1% da empresa. Logo, quando a empresa crescer, 1% do lucro distribuido é meu [só por questão de exemplo, já que o lucro de uma empresa não necessariamente precisa ser todo distribuido].

As ações antigamente eram 'materializadas' em papel. Ou seja, quando eu comprava a ação, eu ganhava um papel, como se fosse uma escritura, dizendo que eu tinha X% de uma determinada empresa. Aí eu levava essa ação pra casa e guardava numa gaveta ou num cofre ou em qualquer lugar dentro de casa. Mas esse sistema era muito problemático: imagina se roubassem minha casa ou se ela pegasse fogo. Para resolver isso foi criada a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia - CLBC, que é um sistema de registro eletrônico, também conhecido como Câmara de Compensação (clearing). Assim, hoje em dia, quando alguém compra uma ação, em geral ela é 'arquivada' na CLBC, que registra o nome do novo dono da ação, o valor da ação, o nome da empresa de que ela faz parte, etc, como se fosse uma conta corrente, só que em vez de dinheiro, temos ações. Essas são as ações que chamamos de escriturais.

Porém, ainda existe a ação em papel, conhecida como nominativa, que é impressa numa cautela.

Fique atento com os nomes maldosos. Quando um título de crédito é nominativo significa que ele tem o nome do dono, ou seja, não é ao portador. Ser ao portador significa que o título de crédito é de qualquer um, ou seja, é de quem esta carregando ele no momento. Hoje em dia a lei define que o único título de crédito que pode ser ao portador é o cheque até R$100. Portanto, as ações escriturais também são nominativas, apesar de se dizer que a ação é nominativa quando é impressa numa cautela.

Existem 3 tipos de ações:
Paztejamos

2 comentários:

  1. Só corrigindo, não necessariamente seu lucro será de 1%, lembrando que as S.A de Cap. Aberto precisam distribuir acima de 25% de seus lucros, porém distribuindo 25% dos lucros, este 1% se reduzirá bastante. A empresa pode, por exemplo, investir o lucro obtido em bens de capital para a empresa ou em outro ativo, a depender do que foi decidido na assembleia geral.

    Té mais!

    ResponderExcluir
  2. Ah sim, exatamente...
    só estava fazendo um exemplo. Vou tentar ser mais específico naquele ponto pra não dar a entender nada errado.

    ResponderExcluir