Teoria Neo-Clássica

Peter Drucker escreveu um livro chamado "Uma Era de Descontinuidade" que prevê a existência de um meio-ambiente turbulento e descontínuo, onde as Organizações Burocráticas são apenas eficientes, mas não eficazes, no sentido de que sem criatividade nas Organizações para se moldar ao meio-ambiente tubulento, elas não sobreviverão.

Uma Organização Eficiente é aquela que simplesmente cumpre o que se espera dela; Uma Organização Eficaz é aquela que cumpre mais que o esperado, sobrevivendo e permanecendo competitiva e constante.

Peter Drucker pressupõe que as Organizações públicas (Exército, Igrejas), junto com as Organizações privadas e mediante a administração do Estado, devem se unir e cooperar entre si, formando uma Sociedade de Organizações, sendo éticas e competindo em condições iguais, em busca de um Bem Comum. Infelizmente no Brasil o Estado é omisso em relação a isso e as Organizações privadas fazem seus serviços sociais simplesmente buscando se promover (como o Instituto do Câncer Infantil do McDonalds ou o Criança Esperança da Rede Globo), visto que esse modelo de "marketing social" é bem visto pelas pessoas. Assim, o conceito de "Responsabilidade Social" fica deturpado, pois algumas organizações obrigam seus funcionários a participar de seus Serviços Sociais.

Administração Por Objetivos
  • Definição das diferentes Áreas da Organização;
    • Definição de diferentes objetivos para cada Área e separação dos mesmos para curto, médio e longo prazos;
      • Curto prazo: período < 2 anos;
      • Médio prazo:  período entre 2 e 5 anos;
      • Longo prazo: período > 5 anos.
    • Objetivos Interligados, formando equipes multidisciplinares para atingir esses objetivos.
Para que a Administração por Objetivos funcione é necessário que haja uma visão global da empresa e uma comunicação constante entre os membros de cada grupo, caso contrário, os objetivos podem acabar se tornando conflitantes. Por exemplo, se o objetivo do diretor financeiro é diminuir gastos com o funcionários, mas o do diretor de RH é de ter um pessoal mais especializado, vai acabar existindo um conflito, visto que para ter um pessoal mais especializado é necessário aumentar os gastos com o pessoal.

Caso Gboex

Nas décadas de 80 e 90, no Rio Grande do Sul, houve muitas falências de Instituições Financeiras (IFs) gaúchas. As IFs militares estavam perdendo a credibilidade e começou-se a questionar o mercado de seguros [Gboex é uma IF militar].

A Gboex, a maior empresa de Previdência Privada da América Latina, trabalhava com um serviço de excelência, pagando os prêmios dos seguros em até 30 dias e detendo um determinado monopólio no mercado de apólices de seguros.

Com a turbulência do Sistema Financeiro Nacional na época, a Gboex se viu em necessidade de ajustar sua estrutura organizacional. Muitos de seus funcionários eram oficiais da reserva do exército que entravam por indicação. Seus salários eram semelhantes ao que teriam se permanecessem na ativa. Para melhorar sua situação, a Gboex teve que, aos poucos, demitir o pessoal de apoio que era ex-militar. Assim, o chefe sempre seria um ex-militar, mas com um pessoal técnico de apoio. Além disso, investiu em tecnologia, tendo uma parceria com a IBM.

Em resumo, a Gboex melhorou sua condição porque ampliou seu nicho de mercado (que inicialmente era só militar), investiu em tecnologia, contratou pessoal com técnico (tirando o "inchaço" da organização) e tomou decisões de base técnica.

Paztejamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário